10 problemas de fiação elétrica resolvidos

Não é apenas a rede elétrica do país que é antiquada. A fiação dentro de muitas casas também está desatualizada, esforçando-se para suprir nossa coleção cada vez maior de aparelhos, iluminação e eletrônicos famintos por eletricidade.

“Os circuitos nessas casas mais antigas não foram projetados para alimentar os muitos aparelhos da vida moderna”, diz o eletricista Allen Gallant.

Os sinais de tensão podem ser óbvios – um emaranhado de cabos de extensão e réguas de energia brotando de uma única tomada – ou escondidos atrás de paredes, tetos e placas de cobertura. Quer saber mais sobre ? Acesse https://bheletricista.com.br/

Protegendo a caixa de fusíveis

Caixas de fusíveis, como a acima, são menos comuns hoje em dia do que painéis de disjuntores, mas funcionam muito bem – a menos que alguém instale fusíveis com uma amperagem maior do que os fios podem suportar com segurança. Isso pode causar o superaquecimento dos fios, danificando seu isolamento protetor e aumentando o risco de incêndio.

Uma vez que o isolamento tenha sido danificado, o perigo permanece mesmo que o fusível danificado seja substituído por um que tenha a amperagem adequada. Para corrigi-lo, o circuito antigo deve ser religado.

Contrate um profissional e evite riscos de incêndio

Alguns problemas de fiação são apenas inconvenientes. Mas outros podem representar sérios riscos de incêndio ou eletrocussão. Se você está comprando uma casa (especialmente uma com mais de 50 anos), ou se você nunca teve sua fiação inspecionada, é uma boa ideia contratar um eletricista licenciado para fazer uma revisão completa em sua casa.

“Ele examinará o isolamento dos fios para ver se está seco e desgastado, procurará corrosão no painel de serviço e verificará se um proprietário anterior fez algo inseguro”, diz Gallant. Depois disso, ele recomenda fazer uma rápida inspeção de acompanhamento a cada cinco anos.

Não se assuste se a inspeção descobrir violações do código. Cada vez que o código elétrico é revisado, a fiação antiga é “adquirida”, na suposição de que foi instalada corretamente. O código exige apenas que você atualize a fiação em salas que estão sendo reformadas. Quer saber mais sobre os serviços elétricos, acesse https://bheletricista.com.br/servicos-2/

Para ajudá-lo a avaliar o estado do seu próprio sistema elétrico, pedimos a Gallant para identificar os 10 problemas de fiação mais comuns que ele vê, os perigos que eles representam e suas soluções recomendadas.

Lembre-se: Sempre que trabalhar com fiação, certifique-se de desligar o circuito no painel principal do disjuntor.

Problemas elétricos comuns

1. Sobreposição

O que significa: Uma luminária tem uma lâmpada com uma potência maior do que a projetada para a luminária.

Violação do código? Sim.

Nível de perigo: Alto. O calor intenso da lâmpada pode queimar ou derreter o soquete e o isolamento dos fios da luminária, o que aumenta o risco de arcos – faíscas que saltam de um fio para outro pelo ar – uma das principais causas de incêndios elétricos. Os danos no soquete e nos fios permanecem mesmo após a remoção da lâmpada.

Solução: Fique dentro do limite de potência listado em todas as luminárias feitas desde 1985. Para luminárias mais antigas e não marcadas, use apenas lâmpadas de 60 watts ou menores.

2. Caixas de Junção Descobertas

O que significa: Como uma caixa de junção abriga as emendas onde os fios são conectados uns aos outros, uma pessoa pode danificar os fios inadvertidamente ou levar um choque.

Violação do código? Sim.

Nível de perigo: mínimo, desde que os fios não estejam ao alcance.

Solução: Gaste alguns centavos para comprar uma nova tampa e instalá-la com os parafusos fornecidos.

3. Luzes piscando quando está ventando

O que significa: Fiação desgastada no cabeçote (o encaixe externo onde os cabos aéreos da linha de energia entram na casa) está causando um curto sempre que os cabos se movem.

Violação do código? Não.

Nível de perigo: Alto. Além do incômodo, a fiação desgastada pode formar um arco e iniciar um incêndio.

Solução: Entre em contato com a concessionária de energia elétrica, que pode substituir o cabeçote sem custo.

4. Poucas lojas

O que significa: forte dependência de cabos de extensão e réguas de energia.

Violação do código? Não; (Os códigos de hoje exigem receptáculos dentro de 4 pés de uma porta e a cada 12 pés depois disso.)

Nível de perigo: Mínimo, desde que você use cabos de extensão resistentes, calibre 14 ou mais grossos. (Quanto mais grosso o fio, menor o número da bitola.) Cabos de extensão menores (calibre 16 ou menor) podem superaquecer e provocar um incêndio se as cargas forem muito pesadas.

Solução: Adicione mais pontos de venda. Espere pagar a um eletricista cerca de US $ 100 por tomada no primeiro andar e o dobro para o trabalho no segundo andar. (Provavelmente haverá uma carga mínima.) Este trabalho requer fazer furos em paredes e tetos para enrolar os fios. Alguns eletricistas consertarão os buracos; outros deixam a correção para você.

Fonte de Reprodução: Getty Imagem

5. Sem GFCIs

O que significa: Aumento do risco de eletrocussão em áreas úmidas, como banheiros e cozinhas. GFCIs (interruptores de circuito de falha de aterramento) desligam os circuitos em 4 milissegundos, antes que uma corrente possa causar um choque mortal.

Violação do código? Não; (Os códigos hoje exigem GFCIs a 4 pés de qualquer pia e em todas as garagens, porões e tomadas externas.)

Nível de perigo: Alto.

Solução: Substitua os receptáculos antigos por GFCIs (cerca de US$ 12 cada). Este é um trabalho simples que muitos proprietários fazem sozinhos. Eletricistas cobram cerca de US$ 20 por tomada. (Provavelmente haverá uma taxa mínima de trabalho.) Observação: Como alternativa, os disjuntores GFCI (US$ 25) podem ser instalados no painel elétrico principal. Mas então toda vez que alguém tropeça, você tem que descer ao porão para redefini-lo.

6. Painel com sobre fiação

O que significa: O painel contém mais circuitos do que está classificado para lidar porque muitos disjuntores monopolares (um circuito) foram substituídos por disjuntores tandem (dois circuitos) em um slot. (Disjuntores tandem não são o mesmo que disjuntores bipolares de alta amperagem, que ocupam dois slots com um circuito.) Uma etiqueta em cada painel especifica quantos circuitos o painel pode acomodar.

Violação do código? Sim.

Nível de perigo: Mínimo. Pode se tornar um problema quando a casa está sendo vendida e um inspetor olha dentro do painel.

7. Fiação de alumínio

O que significa: você tem um tipo de fiação, usado nas décadas de 1960 e 1970 como substituto barato do cobre, que não é mais considerado seguro.

Violação do código? Não; adquirido em.

Nível de perigo: Alto. O alumínio corrói quando em contato com o cobre, então as conexões se soltam, o que pode levar a arcos e incêndios.

Solução: Instale uma porca de fio dielétrico aprovada para fio de alumínio (um par é vendido por menos de US$ 1) em cada conexão de cobre/alumínio em luminárias. Essas porcas têm uma graxa especial que impede a corrosão, mantendo a condutividade. Certifique-se de que quaisquer interruptores e receptáculos de substituição sejam rotulados como compatíveis com AL.

8. Fios Esfaqueados pelas Costas

O que significa: em interruptores e receptáculos mais novos, os fios empurrados na parte de trás são mais propensos a se soltar do que aqueles ancorados em torno dos terminais de parafuso.

Violação do código? Não. A prática é permitida, mesmo para novas construções.

Nível de perigo: Depende. No mínimo, fios soltos podem fazer com que um receptáculo ou interruptor pare de funcionar. Na pior das hipóteses, eles podem iniciar um incêndio.

Solução: Verifique se há conexões backstabb removendo um interruptor ou receptáculo de sua caixa de saída. Se um for apunhalado pelas costas, é provável que haja mais. Solte os fios e conecte-os aos terminais de parafuso apropriados no receptáculo.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Fia%C3%A7%C3%A3o

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.