Os muitos e tantos Tantras

Muito longe de ser um caminho de terapia ou cura, as escrituras tântricas eram ensinamentos conectados com o desenvolvimento de um caminho espiritual, assim como rituais de magia, misticismo, com o desenvolvimento dos “siddhis”, ou poderes sobrenaturais. Vale lembrar também que o Sânscrito, língua na qual muitas dessas escrituras foram feitas, é uma língua extremamente poética na qual o mesmo termo possui diversas interpretações e significados. Isso dá margem para interpretações literais e figurativas.

A palavra Tantra é uma delas. Dependendo do contexto ela pode ganhar significados dos mais variados. “Escritura” por exemplo. Hoje é comum utilizarmos esse texto para nos referir a um grupo de escrituras produzidas em diferentes lugares, por diferentes escolas e religiões, mas que reúnem práticas, pensamentos, rituais e meditações consonantes.

Os Muitos Tantras espalhados do Oriente para o mundo afora eram escrituras que continham segredos que revelavam caminhos espirituais não muito ortodoxos para as religiões vigentes. Alguns historiadores dizem que o Tantra é um caminho espiritual anarquista, pois não apenas traz um amadurecimento necessário para a autogestão, mas porque não é raro encontrar em suas escrituras linhas um tanto quanto subversivas, que entravam em conflito com o sistema de castas vigente em determinada sociedade. Os Tantras Vamachara (Tantras da mão-esquerda) comumente apresentam rituais com substâncias proibidas – como carne ou vinho – ou ainda com o Maithuna, a união sexual para fins ritualísticos, que comumente é sugerida para ser feita entre pessoas de castas diferentes.

Alguns dos tantos Tantras

Hindus Budistas Tibetanos
Mahavidya Tantra Guhyasamaja Tantra Padma Kathang Sanglingma
Brahma Yamala Mahavairocana Tantra Bardo Thödol
Jayadratha Yamala Chandamaharosana Tantra Nyingtig Yabshi
Kaulajnana Nirnaya Prajnopaya-viniscaya Siddhi Seven Treasures
Kaulavali Nirnaya Tantra Chakrasamvara Tantra Padma Kathang Sheldrakma
Mahanirvana Tantra Hevajra Tantra Kaulavali Nirnaya Tantra
Yoni Tantra Kalachakra Tantra Longchen Nyingtig
Tantrasadbhava Mahamaya Tantra Rinchen Terzö Chenmo
Kalivilasa Tantra Vajrayogini Tantra
Kumari Tantra Naro Chos-Drug
Lakshmi Tantra Nigu Chos-Drug
Niruttara Tantra Mila Gnubum
Nila Tantra Sutra of Secret Bliss
Tantraloka Jewel Ornament of Liberation
Gupta-Sadhana Tantra Kurukulla Tantra
Kalika Purana Mahakala Tantra
Mahachinacara Tantra Manjushri Mula Tantra
Tantraraja Tantra Samvarodaya Tantra
Manthanabhairava Tantra Seventeen Mannagde Tantras
Yoginihridaya Tantra Vajrapatala Tantra
Parasurama-kalpa Sutra

Kulacudamani Tantra

Kularnava Tantra

Rudrayamala Tantra

Saradatilaka

Kali Tantra

Kamakhya Tantra

Kamaratna Tantra

São muitos textos e contextos diferentes. Abaixo deixo uma pequena explicação de Osho, de seu livro Tantra, Espiritualidade e Sexo que diz o seguinte

Qual é o assunto central do Tantra?

Você! Você é o assunto central do Tantra — o que você é agora e o que está oculto em você que pode crescer, o que você é e o que você pode ser. Agora você é uma unidade sexual, e a menos que ela seja completamente compreendida, você não pode se tornar um espírito, não pode se tornar uma unidade espiritual. A sexualidade e a espiritualidade são dois extremos de uma só energia.

O Tantra começa com você como você é, e a Ioga começa com você como a sua possibilidade é. A Ioga começa com o fim, e o Tantra começa com o princípio. E é sempre bom começar com o princípio, pois se o final for o princípio, então você criará desnecessária infelicidade para você.

Você não é isto — apenas o ideal. Você precisa se tornar um deus, o ideal, e você é apenas um animal. E esse animal fica frenético devido ao ideal de deus; ele fica louco, ele se torna demente. O Tantra diz para se esquecer do deus; se você é o animal, entenda esse animal em sua totalidade. Nesse próprio entendimento o deus crescerá. E se ele não puder crescer através desta compreensão, então esqueça-o; ele nunca poderá crescer.

Os ideais não podem trazer as suas possibilidades para fora; somente o conhecimento do real ajudará. Assim, você é o assunto central do Tantra — como você é e como você pode se tornar, sua realidade presente e a sua possibilidade. Esses são os assuntos centrais.

Algumas vezes as pessoas ficam preocupadas; se você se mobiliza para entender o Tantra, percebe que Deus, moksha e nirvana não são discutidos, Que tipo de religião é o Tantra? O Tantra discute coisas que o fazem se sentir enojado; você não gostaria de discuti-las. Quem deseja discutir o sexo? Pois todo mundo acha que sabe. Por você poder reproduzir, você acha que sabe?

Ninguém quer discutir sobre o sexo, e o sexo é o problema de todos. Ninguém quer discutir sobre o amor, pois todo mundo acha que já é um grande amante. E olhe para a sua vida! Ela é apenas ódio e nada mais; e tudo o que você chama de amor nada mais é do que um relaxamento, um pequeno relaxamento do ódio. Olhe à sua volta, e então saberá o que você conhece e o que não conhece.

Estou me lembrando…

Ouvi dizer sobre um judeu, um professor de hassidismo, Baal Shem. Ele mandou fazer um manto, e todo o dia ele ia a seu alfaiate. E o alfaiate levou seis meses para fazer um simples manto para o faquir, para o pobre faquir! Quando o manto ficou pronto e o alfaiate o entregou a Baal Shem, este perguntou: “Diga-me, mesmo Deus teve somente seis dias para criar o mundo. Em seis dias Deus criou o mundo inteiro, e você levou seis meses para fazer o manto deste pobre homem?”.

Baal Shem se lembrou do alfaiate em suas memórias. O alfaiate disse: “Sim, Deus criou o mundo em seis dias, mas olhe para o mundo — que tipo de mundo ele criou! Sim, ele criou o mundo em seis dias, mas olhe para o mundo!”.

Olhe à sua volta, olhe para o mundo que você criou. Então você virá a saber que você não sabe de nada. Você está apenas tateando no escuro. E porque todos os outros estão na mesma situação, isso não quer dizer que você esteja vivendo na luz. Por todos também estarem tateando no escuro, você se sente bem, pois não existe comparação.

Mas você está no escuro, e o Tantra começa com você como você está. O Tantra deseja esclarecê-lo sobre coisas básicas, as quais você não pode negar. Ou se você tentar negá-las, o custo vai ser seu próprio.

O que o budismo tibetano fala sobre Tantra?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *